Perguntas e Respostas

Hospital Urológico - Perguntas e Respostas

Acesse a opção Fale Conosco e faça sua pergunta. Sua participação é imprescindível para nós.


Assunto: DST
Pergunta: Quais são os sinais da sífilis?
Resposta: Geralmente se apresenta como uma úlcera peniana indolor. A úlcera é profunda, tem uma base limpa e margens endurecidas.


Assunto: DST
Pergunta: Como se diagnostica a sífilis?
Resposta: Por meio do achado de espiroquetas ( bactérias) na secreção da úlcera ao exame em campo escuro. Os testes sorológicos para sífilis existem e podem permanecer negativos por 1-3 semanas após o aparecimento do cancro.


Assunto: DST
Pergunta: Como é uma uretrite gonocócica?
Resposta: Os sintomas habituais da gonorréia são: dor ao urinar e corrimento amarelo ou marron. Pode haver apenas prurido (coceira) na uretra. O período de incubação habitual é de 3 a 10 dias, mas pode variar de 12 horas a 3 meses.


Assunto: DST
Pergunta: Quais são os sintomas mais comuns do HIV?
Resposta: Emagrecimento crônico,diarréia, sudorese noturna e febre. Outros sinais são: linfadenopatia generalizada (íngua), leucoplasia pilosa, candidíase oral (monilíase) e sarcoma de Kaposi.


Assunto: DST
Pergunta: Como se diagnostica o HPV?
Resposta: Clínico, peniscopia e captura híbrida. Clinicamente é uma lesão verrucosa e comumente chamada de "Crista de Galo". A peniscopia é o envolvimento da região genital com uma toalha umedecida com ácido acético a 5%, podendo revelar verrugas subclínicas que aparecem como áreas esbranquiçadas. Captura híbrida é um exame feito por meio de um escovado peniano e uretral com o objetivo de buscar a presença do DNA do vírus HPV - atualmente é o exame mais sensível para este diagnóstico.


Assunto: DST
Pergunta: Como se trata o HPV?
Resposta: As verrugas visíveis podem ser tratadas através de cauterização química com algumas substâncias dentre elas a podofilina, criocirurgia, eletrocauterização ou tratamento com laser. O único objetivo realista do tratamento local na infecção por HPV é remover verrugas visíveis e reduzir quaisquer sinais e sintomas que um paciente possa apresentar por causa da infecção na verruga. A cura definitiva ainda não é possível.


Assunto: Geral
Pergunta: O que é ANDROLOGIA?
Resposta: É uma especialidade que trata dos distúrbios masculinos como Disfunção erétil (impotência sexual) e infertilidade.


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: Qual a cirurgia que é feita para tratar incontinência urinária?
Resposta: Existem várias técnicas, dependendo do grau de incontinência e de problemas associados. As cirurgias podem ser realizadas por via vaginal, por via abdominal (com uma incisão semelhante a da cesariana, embora em menor tamanho), ou pelas duas vias combinadas. A decisão sobre qual cirurgia fazer passa pela cuidadosa avaliação do urologista e por uma ampla discussão com a/o paciente.


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: Meu nome é Marilene,tenho 49 anos e entrei na menopausa há 2 anos. Tive 2 filhos por parto normal e fiz uma cesariana. Nos últimos meses, tenho notado que molho, perco urina quando tusso e espirro e, às vezes, tenho um espasmo na bexiga.
Resposta: Cara Marilene,você tem o que nós urologistas chamamos de INCONTINÊNCIA URINÁRIA. Incontinência urinária é a perda involuntária de urina, seu quadro sugere que co-existem dois tipos de incontinência urinária. A incontinência urinária aos esforços (que nós urologistas abreviamos para IUE) e a urge-incontinência.


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: Por que ocorre a incontinência urinária?
Resposta: Embora os mecanismos de continência ( para segurar a urina na bexiga) sejam extremamente complexos e tema de muito estudo, eles podem ser explicados com relativa simplicidade. A bexiga é um reservatório, que funciona para guardar a urina, que é constantemente produzida pelos rins, enquanto não chega uma hora e local adequado para que ela possa ser esvaziada. Na parte inferior da bexiga fica o canal que leva a urina para fora, chamado de uretra (que as pessoas frequentemente chamam de canal). Em volta da uretra fica um músculo circular que funciona como um "registro de água". Se essa musculatura fica fraca, ela não é capaz de gerar a pressão necessária para fechar esse registro. Desta forma, a pressão na bexiga pode aumentar e causar incontinência se a pressão no interior do abdomen aumenta (com tosse, espirros, esforço físico) ou se a bexiga se contrai sem o desejo da pessoa (que é muito comum em pessoas que tem doença neurológica, como derrames).


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: O que pode levar ao enfraquecimento da musculatura da uretra?
Resposta: Idade, alterações da anatomia dos órgãos da bacia (que chamam de bexiga caída), falta de estrógeno, cirurgias, trauma, partos vaginais, doenças neurológicas (Parkinson, esclerose múltipla), doenças do colágeno, só para citar algumas. A lesão da musculatura da uretra( que nós, urologistas chamamos de esfíncter uretral) pode ocorrer de várias formas e por vários mecanismos.


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: O que vem a ser urge-incontinência?
Resposta: O próprio nome já diz. URGE-INCONTINÊNCIA ocorre quando se perde urina com aquela sensação de necessidade urgente de urinar. Aqui a musculatura da uretra pode estar até relativamente preservada, mas a bexiga passa a contrair independente do desejo da pessoa (nós normalmente contraímos a bexiga só quando vamos urinar ao nosso comando, e a pressão dentro da bexiga é tão forte que passa a ser inevitável perder urina).


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: E como se trata incontinência urinária?
Resposta: O tratamento da incontinência urinária depende de sua causa e mecanismo. O urologista é o médico mais preparado para diagnosticar e tratar essa condição. A avaliação da incontinência urinária passa por uma consulta detalhada, buscando fatores e doenças associadas à incontinência urinária, por um exame físco buscando alterações na anatomia da bacia e do abdomen, por exames de laboratório e de imagem, e na maioria das vezes, pela AVALIAÇÃO URODINÂMICA, o exame que é capaz de dizer com exatidão qual é o mecanismo associado à perda urinária da pessoa. O tratamento é fisioterápico, clínico ou cirúrgico, depende dos resultados deste exame.


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: Para incontinência urinária de esforço na mulher, qual o melhor tratamento?
Resposta: O tratamento depende da causa e mecanismo. Casos leves de incontinência urinária podem eventualmente ser tratados com medicação ou com fisioterapia (que chamamos de re-educação do assoalho pélvico). Para todos os demais casos o melhor tratamento é o cirúrgico. Na verdade, até agora nenhum tratamento , em dezenas de estudos realizados, revelou-se superior à cirurgia.


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: Os ginecologistas estão habilitados a diagnosticar e tratar incontinência urinária?
Resposta: Se o médico tem conhecimento, experiência, discernimento e capacidade técnica para tratar incontinência urinária, é claro que está habilitado. Existem alguns ginecologistas no país que são capacitados de analisar o estudo urodinâmico e utilizar todas opções, tanto de medicação, quanto de cirurgias, que existem para tratar incontinência urinária.


 Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: Qual a eficácia dos tratamentos disponíveis para incontinência urinária?
Resposta: Nós, urologistas, costumamos dizer que é muito mais fácil fazer que uma pessoa que perde urina parar de perder, do que fazer alguém que não consegue urinar passar a urinar. Se utilizarmos todos os recursos que dispomos e tendo a cooperação da(o) paciente, conseguimos ter sucesso no tratamento da incontinência urinária em cerca de 95% dos pacientes.


Assunto: Incontinência Urinária
Pergunta: Somente mulheres têm incontinência urinária?
Resposta: Não. Crianças com doenças neurológicas ou mal-formações dos ureteres, bexiga e uretra, entre outras doenças, podem ter incontinência urinária. Homens com doenças neurológicas ou que tenham sido submetidos à cirurgia da uretra ou próstata (especialmente a cirurgia para câncer de próstata: a prostatectomia radical) também podem ter incontinência urinária.


Assunto: Tumores
Pergunta: Doenças sexualmente transmissíveis (DST) podem favorecer o aparecimento do câncer de próstata?
Resposta: Até agora todos os estudos realizados demonstram que pacientes que tiveram DST não tem uma maior predisposição a ter câncer de próstata.


Assunto: Tumores
Pergunta: Com que idade devo iniciar a prevenção do câncer de próstata?
Resposta: O exames da próstata devem ser iniciados aos 40 anos em pessoas que tenham parentes de até segundo grau que têm ou tiveram câncer de próstata e aos 45 anos nos demais.


Assunto: Tumores
Pergunta: Quais os sintomas do câncer de próstata?
Resposta: O câncer de próstata em sua fase inicial não causa qualquer tipo de sintomas e só pode ser diagnosticado se a pessoa procurar o médico espontaneamente. Eventualmente pode-se sentir sintomas chamados de prostatismo decorrente do aumento da próstata tais como: levantar várias vezes a noite para urinar, diminuição do jato urinário, sensação de não ter esvaziado completamente a bexiga após a micção, dificuldade em iniciar a micção entre outros. Importante ressaltar que na grande maioria das vezes estes sintomas não significam câncer de próstata devendo-se procurar a ajuda de um especialista.


Assunto: Tumores
Pergunta: Qual a causa do câncer de próstata?
Resposta: O câncer de próstata como a maioria dos cânceres têm múltiplas causas que contribuem para o seu aparecimento dentre elas destacamos a predisposição hereditária e dieta rica em gordura animal. Sabe-se também que a incidência do câncer de próstata aumenta com a idade e que é duas vezes mais comum na raça negra que na raça branca. Acredita-se que a soja e alimentos ricos em zinco, selênio, betacaroteno e vitamina E tenham efeito protetor contra o câncer de próstata.


Assunto: Tumores
Pergunta: O câncer de próstata tem cura?
Resposta: Quando diagnosticado precocemente o índice de cura pode ultrapassar os 90%.


Assunto: Tumores
Pergunta: Não sinto nada. Preciso fazer exames da próstata?
Resposta: Conforme dito anteriormente a grande maioria dos tumores da próstata não apresentam sintomas na fase inicial. Desta forma só conseguimos fazer o diagnóstico precoce se você fizer os exames, mesmo sem sentir nada.


Assunto: Tumores
Pergunta: Quais os sintomas do câncer de testículo?
Resposta: O câncer de testículo tem sua maior incidência nos homens de 15 a 35 anos. Geralmente o sintoma inicial é a palpação de um caroço geralmente indolor ou pouco doloroso durante o banho. Outros sintomas que podem aparecer são a perda de peso, dor abdominal, dor nas costas, dificuldade respiratória, presença de gânglios ou "ínguas" e aumento e dor nas mamas no homem. Crianças que tiveram criptorquidia (ausência dos testículos na bolsa escrotal ao nascimento) tem uma chance 50 vezes maior de ter câncer de testículo. Desta forma recomenda-se que todo homem palpe os testículos pelo menos uma vez ao mês e em caso de qualquer anormalidade procure um urologista.


Assunto: Tumores
Pergunta: Palpei um caroço no testículo. Estou com câncer?
Resposta: A grande maioria das pessoas que palpam alguma anormalidade no testículo não tem câncer e sim inflamações ou cistos em alguma de suas estruturas. Mas atenção: somente um especialista pode fazer esta diferenciação.


Assunto: Tumores
Pergunta: Qual o tratamento do câncer de próstata?
Resposta: O câncer de próstata pode ser tratado através de cirurgia, no qual a glândula é extirpada, radioterapia ou aplicação de substâncias que diminuem a produção de hormônios masculinos.


Assunto: Tumores
Pergunta: O que é PSA?
Resposta: O PSA é uma substância produzida normalmente pela próstata e que é dosada no exame de sangue. Quando está aumentado pode significar algum problema na próstata. importante ressaltar que o PSA não deve ser utilizado como única forma de realizar a prevenção de próstata visto que cerca de 25% dos pacientes com câncer possuem o exame do PSA normal.


Assunto: Doenças - Osteoporose
Pergunta: O que é osteoporose?
Resposta:É uma doença caracterizada pela diminuição da densidade mineral do osso. A perda de massa óssea torna o osso poroso, podendo sofrer fraturas com facilidade. É a alteração metabólica óssea mais comum.