WeCreativez WhatsApp Support
Seja Bem-vindo(a) ao Hospital Urológico de Brasília.
Agende sua consulta ou exame conosco ou tire suas dúvidas quanto ao nosso atendimento:

Andropausa, isso existe mesmo?

andropausa

andropausa é a fase da vida masculina em que ocorre uma redução do hormônio testosterona na corrente sanguínea. Esta situação não leva à falência da condição reprodutora masculina, como ocorre nas mulheres. Entretanto, ela é acompanhada de diferentes outros sintomas que podem afetar a qualidade de vida dos homens.

Se você preferir, ouça este artigo no YouTube, é só dar “Play” no vídeo abaixo. Não esqueça de se inscrever e ativar o “sino” das notificações para se manter informado(a).

Essa condição geralmente se manifesta após os 40 ou 50 anos, quando mais cuidados de saúde deveriam ser tomados. Aos 70 anos, a maioria dos homens produz 30% menos testosterona, e essa porcentagem pode ser progressiva com o passar dos anos.

Qual a diferença entre a andropausa e a menopausa?

Embora sejam condições semelhantes, a menopausa e a andropausa são muito diferentes uma da outra. O mais importante diz respeito à capacidade de reprodução. Quando uma mulher passa pela menopausa, o estrogênio, o hormônio reprodutivo feminino, é reduzido.

Como resultado, o corpo produz cada vez menos óvulos até perder a capacidade de reprodução. No entanto, ao contrário das mulheres, quando os homens entram na andropausa, eles não interrompem a produção de esperma, o que lhes permite ter filhos muito mais velhos.

Diferentemente da menopausa feminina, não há um momento específico a partir do qual se pode afirmar o estado de andropausa. Por sua vez, muitos homens não manifestam sintomas perceptíveis, ao contrário do que ocorre com as mulheres quando o hormônio feminino estrogênio se reduz.

Outro sintoma comum e conhecido da menopausa são as ondas de calor que afetam as mulheres. Esse desconforto não existe nos homens. A menopausa também é uma fase que começa e termina em um determinado período de tempo. A andropausa pode durar muitos anos.

Quais as causas da Andropausa?

As principais causas da andropausa residem na disponibilidade reduzida do hormônio testosterona, que circula no corpo. Esse hormônio é produzido principalmente nos testículos e um pouco nas glândulas supra-renais.

Na verdade, a testosterona é a principal responsável pelos aspectos que caracterizam a masculinidade e diferenciam os homens das mulheres, como pelos corporais, voz, músculos e fertilidade (sêmen), entre outros. Mesmo assim, apenas cerca de um terço da população masculina passa por esse processo de redução significativa dos níveis de testosterona, que é característico da andropausa.

Então, o que está relacionado com a queda da testosterona?

Embora a diminuição dos níveis seja um evento natural que se instala ao longo dos anos, também pode ser causada por algumas condições médicas que afetam a saúde masculina. Por exemplo, as alterações endócrinas podem ser uma das causas da diminuição do hormônio masculino porque a produção do hormônio no corpo humano é feita pelas glândulas endócrinas.

O envelhecimento também é uma das causas desta condição. Com o passar dos anos, o corpo humano se deteriora e todas as suas funções gradualmente começam a se deteriorar até que algumas delas cessem. Além desses dois problemas fisiológicos, existem outras circunstâncias que podem ser a causa de sua ocorrência, como a obesidade, estresse, sedentarismo e depressão.

Sintomas da Andropausa

Devido aos diferentes hábitos de vida, bem como às diferentes evoluções do processo de envelhecimento em cada homem, os sintomas da andropausa são diversos na população masculina.

No entanto, podemos listar os sintomas mais comuns como:

  • perda de massa óssea;
  • perda de massa muscular;
  • fadiga;
  • pele seca;
  • redução de pelos no corpo;
  • alterações de humor;
  • perda ou diminuição da libido;
  • disfunção erétil;
  • aumento da gordura abdominal;
  • sensação de perda de energia;
  • depressão.

A participação do homem no grupo de risco

Como vimos antes, apenas 1 em cada 3 homens passa pelo processo de redução da testosterona. Portanto, algumas pessoas têm maior probabilidade do que outras de desenvolver a doença e são chamadas de grupo de risco.

O grupo de risco de andropausa consiste em:

  • diabéticos;
  • sedentários;
  • fumantes;
  • alcoólatras;
  • depressivos;
  • hipertensos;
  • obesos.

Como é dado o diagnóstico?

O método mais comum de determinar a condição é fazer um exame de sangue para determinar os níveis totais de testosterona.

Os níveis de referência são considerados a faixa normal de 300 a 1200 ng / dL. Se o teste mostrar menos de 300 ng / dl, há indicação de andropausa. Nesse caso, o médico precisará solicitar outros procedimentos para confirmar a situação.

Como é o tratamento?

Em geral, a população masculina vai pouco ao médico para se consultar. Por isso, desconhecem as situações pelas quais podem estar passando.

Urologistas e endocrinologistas são os profissionais que devem ser consultados se houver suspeita do aparecimento de algum sintoma.

Esses profissionais geralmente apontam para a reposição hormonal quando o diagnóstico de tratamento para andropausa é concluído. O paciente, portanto, usará medicamentos que promovem o aumento dos níveis do hormônio masculino no sangue. Ao mesmo tempo, o médico responsável deve monitorar atentamente os resultados do tratamento recomendado.

Isso é feito por meio de testes específicos e verificando possíveis efeitos colaterais que podem ser observados em algumas pessoas.

Andropausa é um fenômeno relacionado à idade. Como ele, vários outros efeitos fisiológicos no corpo ocorrerão com o tempo. Para ter uma vida longa com qualidade, é muito importante consultar o médico regularmente.


Se você tiver 40 anos ou mais, agende uma consulta conosco para sua avaliação.


Se preferir, agende por Telefone ou Whatsapp. É só clicar no link para ligar ou nos mandar uma mensagem!

Telefone: +55(61)3345-9300
Whatsapp: +55(61)99947-7815