WeCreativez WhatsApp Support
Seja Bem-vindo(a) ao Hospital Urológico de Brasília.
Agende sua consulta ou exame conosco ou tire suas dúvidas quanto ao nosso atendimento:

Evite Pedra nos Rins se alimentando corretamente

pedra nos rins

Este artigo é uma contribuição dada pela nutricionista e parceira do Hospital Urológico de Brasília, Laura C. Ferreira G. Gonzaga (CRN/DF 3106), de como evitar a pedra nos rins por meio da alimentação correta.

Se você preferir, ouça este artigo no YouTube, é só dar “Play” no vídeo abaixo. Não esqueça de se inscrever e ativar o “sino” das notificações para se manter informado(a).

A Litíase Renal, comumente chamada de “pedra nos rins” é uma doença ocasionada pelo surgimento de cálculos renais. O acúmulo de substâncias formadoras de cálculos, como cálcio, oxalato e ácido úrico, na urina, assim como, a diminuição de substâncias que inibem a formação de cálculo, como o citrato, podem causar a precipitação e aglutinação de determinadas substâncias formando os cálculos.

Quais os principais sintomas?

  • Dor ou queimação ao urinar;
  • Cólica renal;
  • Urina rosada;
  • Alteração do jato urinário;
  • Náusea e dor abdominal.

Alimentação x Pedra nos Rins

Segundo a nutricionista, para se evitar e se prevenir da pedra nos rins devemos nos alimentar corretamente e seguir as seguintes orientações:

  • Ingerir bastante líquidos (2 a 3 litros/dia). Tomar água e sucos naturais, para a diminuição da concentração urinária dos componentes formadores do cálculo.
  • Não há necessidade de exclusão dos alimentos ricos em cálcio (queijos, leite, iogurte, coalhada), porém sua ingestão deve ser de acordo com o recomendado, sendo de 2 a 3 porções/dia.
  • Não ingerir proteína em excesso, para isso deve-se tomar cuidado com as carnes, que devem ser magras e consumidas com moderação.
  • Os alimentos fontes de vitamina C, como laranja, abacaxi, acerola, entre outros, não devem ser excluídos da dieta, porém devem ser ingeridos sem excesso, pois podem aumentar a produção de oxalato.
  • Chá mate e o preto devem ser evitados, pois possuem oxalato (substância causadora de cálculos renais), assim como café e refrigerantes.
  • Evitar alimentos como: espinafre, nozes, amendoim, frutos do mar, bebidas achocolatadas, pois também possuem oxalato.

O que devemos evitar para reforçar a prevenção?

Laura ainda reforça que devemos:

  • Moderar o consumo de sal e evitar alimentos embutidos, temperos prontos e conservas, dando preferência a temperos e alimentos naturais;
  • Ter uma alimentação saudável, com alimentos integrais e frutas fontes de fibras. Reduza o consumo de gorduras e alimentos industrializados;
  • Incluir na dieta verduras (alface, agrião, rúcula, etc), pois são ricas em nutrientes como minerais, vitaminas, e fibras, que previnem o cálculo renal.

Para fechar as orientações, Laura faz um alerta quanto a fruta CARAMBOLA e seus perigos para o seu rim!

Estudos da Universidade de São Paulo (USP) já comprovaram que a carambola pode ter efeitos tóxicos ao organismo, principalmente nos pacientes com insuficiência renal.

Esse efeito é causado por uma toxina da fruta que é filtrada pelos rins. Como os rins de pacientes com doença renal crônica não filtram adequadamente, ocorre um acúmulo dessa substância no organismo, o que pode desencadear crises de soluço, vômitos, convulsões ou até mesmo o óbito.

Além disso, a carambola é uma fruta rica em ácido oxálico, substância que pode levar a formação de pedras nos rins de indivíduos mais susceptíveis. Por isso, mesmo naquelas pessoas que não possuem problemas renais, recomendamos que a ingestão de carambola seja feita com moderação !

Para pacientes em hemodiálise, transplantados ou aqueles com doença renal crônica, EVITE consumir carambola!


Notou algum problema citado neste artigo? Agende uma consulta conosco para a detecção precoce desse e outros problemas urinários.


Se preferir, agende por Telefone ou Whatsapp. É só clicar no link para ligar ou nos mandar uma mensagem!

Telefone: +55(61)3345-9300
Whatsapp: +55(61)99947-7815


Fonte: Laura C. Ferreira G. Gonzaga (CRN – DF 3106), parceira e responsável pela nutrição dos pacientes internados do Hospital Urológico de Brasília.