A impotência sexual atinge cerca de 45% dos brasileiros

impotência sexual

A impotência sexual é mais comum que possamos imaginar e chega a atingir cerca de 43% dos brasileiros.

Se preferir, ouça este artigo no YouTube, é só dar “Play” no vídeo abaixo. Não esqueça de se inscrever e ativar o “sino” das notificações para se manter informado(a).

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 11 milhões de brasileiros apresentam dificuldades de ereção.

A impotência sexual ainda carrega muito tabu, mas é mais comum do que parece. Por mais que seja motivo de constrangimento nos homens, é preciso falar sobre esse tema e vencer a timidez ou o medo.

A impotência sexual pode atrapalhar a vida social e a saúde mental dos homens, além de estar ligada ao desenvolvimento de outras doenças. Portanto, a procura de ajuda médica não deve ser excluída.

Felizmente, este é um problema tratável, restaurando o bem-estar físico e emocional e aumentando a qualidade de vida sexual das pessoas com essa condição.

O que causa a impotência sexual? Essa pergunta é muito importante para os homens a responderemos junto de outras dúvidas nesse artigo! Continue lendo…

Antes de tudo, o que é impotência sexual?

A impotência sexual, também conhecida como disfunção erétil, é caracterizada pela incapacidade de ter ou manter uma ereção por tempo suficiente para ter um desempenho sexual satisfatório.

Vale a pena notar que isso não é o mesmo que ejaculação precoce. Nesta segunda condição, o homem consegue manter uma ereção, apenas ejacula e atinge o orgasmo muito rapidamente.

Também é importante ressaltar que a deficiência deve ocorrer em mais de uma situação. Se o paciente está muito estressado, bêbado ou tenso, é comum que ele tenha dificuldade em manter uma ereção. O problema ocorre quando, mesmo em situações descontraídas e sem qualquer influência externa, a dificuldade persiste.

Embora não seja uma doença maligna, a impotência sexual pode afetar consideravelmente outros aspectos do indivíduo, como sua saúde psicológica, emocional e afetivo.

CUIDADO… Além disso, a disfunção erétil pode aparecer como sintoma de alguma doença cardíaca.

Por isso, é necessário procurar ajuda de um urologista quando esses sintomas aparecerem, pois além de tratar a dificuldade de fazer sexo, serão observadas comorbidades associadas a esse problema.

Mas o que leva um indivíduo à impotência sexual, o que a causa?

Não podemos dizer exatamente o que causa a impotência sexual, pois depende de cada caso. Mas, em geral, os principais fatores que influenciam essa condição são:

  • idade;
  • histórico de diabetes, doenças cardiovasculares e doenças neurológicas;
  • falta de exercícios físicos;
  • tabagismo;
  • hipercolesterolemia;
  • síndrome metabólica;
  • aterosclerose;
  • trauma pélvico;
  • hipertensão arterial;
  • obesidade;
  • depressão e
  • uso de medicamentos anti-hipertensivos e antidepressivos.

Portanto, se você possui algum desses fatores de risco, fique atento ao aparecimento ou agravamento do problema.

É importante saber que os riscos de disfunção erétil podem ser reduzidos ajustando ou tratando esses fatores, especialmente em combinação com atividade física e perda de peso.

Andropausa

Outro aspecto relacionado à impotência sexual masculina é a deficiência androgênica do envelhecimento masculino (DMRI), conhecida como andropausa.

Isso acontece porque a produção de testosterona pelos testículos tende a diminuir progressivamente à medida que o homem envelhece Com isso, o desejo sexual e a ereção são afetados.

Apesar de acontecer naturalmente no corpo, é fundamental procurar ajuda médica para verificar outras causas relacionadas e buscar formas de prevenir a impotência sexual.

Escute a entrevista do Dr. Rodrigo Braz, médico urologista e membro do corpo clínico do Hospital Urológico de Brasília, que explica a respeito do envelhecimento do sistema reprodutor masculino.

Como identificar se sou um homem impotente?

Para identificar um homem impotente, o paciente deve primeiro relatar seu histórico completo de dificuldades durante o desempenho sexual. Além disso, é fundamental esclarecer ao urologista se o problema é de início súbito ou gradual, bem como se é permanente ou intermitente.

Após analisar a história do paciente, será realizado um exame físico, que busca identificar as possíveis causas da disfunção erétil, bem como outras doenças relacionadas ao problema. O exame físico inclui:

  • toque retal;
  • pressão sanguínea;
  • distribuição de pelos e gordura no corpo;
  • ginecomastia, exame que avalia o tecido mamário masculino, e
  • exame genital.

Por outro lado, quando a impotência sexual é seguida de suspeita de outros problemas de saúde, o ideal é que o paciente faça outros exames, como glicemia, testosterona total e perfil lipídico.

Outros exames mais específicos são recomendados quando um paciente tem uma faixa de risco moderado a alto de desenvolver doenças cardíacas relacionadas.

Cuidado com as Doenças Cardíacas

Como mencionado anteriormente, a impotência pode ser um sintoma de problemas cardíacos. Portanto, é importante que o médico avalie o paciente e o inclua em um desses perfis: baixo risco, médio risco e alto risco.

Pacientes do grupo de baixo risco são aqueles assintomáticos e que apresentam menos de três fatores de risco relacionados a:

  • doença arterial coronariana;
  • angina leve ou estável;
  • infarto do miocárdio pregresso não complicado;
  • disfunção do ventrículo esquerdo;
  • insuficiência cardíaca congestiva;
  • pós-revascularização coronariana bem sucedida;
  • hipertensão controlada e
  • doença valvar leve.

Se houver mais de três, o risco se torna intermediário ou alto. Nesses casos, é importante o acompanhamento com o urologista e um cardiologista, que avaliarão a saúde do coração, fazendo uma investigação mais aprofundada de outros problemas relacionados.

Como posso evitar a impotência sexual?

Se você ou seu parceiro estão tendo problemas para obter ou manter uma ereção, é importante entender como prevenir a impotência. Na medida do possível, nenhuma orientação pode ser dada sem conhecer a causa da disfunção erétil e passar pelos exames que mencionei anteriormente.

O tratamento geralmente é dado com base no grau da condição e pode envolver:

  • tratamento psicológico: muitas vezes, a dificuldade de manter a ereção tem uma causa psicológica, por isso, a terapia pode auxiliar;
  • reposição hormonal: para pacientes com disfunções hormonais, como a andropausa;
  • tratamento medicamentoso: uso de medicamentos que auxiliam a manter a ereção;
  • injeção peniana: aplicação de medicamentos no pênis antes da relação sexual e
  • prótese peniana: indicado para a impotência sexual onde os outros tratamentos não funcionaram. Consiste na inserção de um dispositivo no pênis que o deixa ereto de forma permanente ou ao ser acionado.

Mantenha a sua paz e tranquilidade

Atendemos muitos pacientes que ficam constrangidos com a impotência sexual e não sabem como falar com o seu médico urologista. Essa insegurança não é necessária.

A dificuldade em obter ou manter uma ereção tem causas físicas ou emocionais e devem ser investigadas da seguinte forma: Um problema de saúde.

Marque uma consulta com um médico que faça você se sentir confortável, compartilhe sua história e esteja aberto para iniciar o tratamento e melhorar sua qualidade de vida de maneira geral.

Lembre-se que um urologista está acostumado a tratar esse tipo de condição e não julgará sua disfunção erétil, mas ajudará você a superá-la da maneira mais saudável possível.

Agradecemos o seu interesse e até o nosso próximo artigo! Não esqueça de nos acompanhar nas redes sociais e no YouTube.


Se você se identificou com algo citado neste artigo, não deixe o problema se agravar e agende uma consulta conosco!


Se preferir, agende por Telefone ou Whatsapp. É só clicar no link para ligar ou nos mandar uma mensagem!

Telefone: +55(61)3345-9300
Whatsapp: +55(61)99947-7815

WeCreativez WhatsApp Support
Seja Bem-vindo(a) ao Hospital Urológico de Brasília.
Agende sua consulta ou exame conosco ou tire suas dúvidas quanto ao nosso atendimento: